novelas globo





Novelas da Globo
História da Telenovela no Brasil
Década de 60
Década de 70
Década de 80
Década de 90
Década de 2000
Fale Conosco
Mapa do site




História da Telenovela no Brasil
Década de 50 e 60
 
     tv.jpgA televisão chegou ao Brasil em 1950, trazida por Assis Chateaubriand, fundador do primeiro canal de televisão no país, a TV Tupi. Nos primeiros anos, tudo era feito de forma improvisada e ao vivo, e com recursos técnicos primários. No dia 18 de Setembro de 1950, é colocada no ar oficialmente, a TV Tupi canal 3 de São paulo.
 
No começo, a programação não seguia uma ordem, e logo após ser colocado no ar alguns programas e telejornais, foi  exibida a primeira telenovela, "Sua vida me pertence", mas como ainda não existia o video-tape, tudo era feito ao vivo. Foi uma trama de 15 capítulos, exibidos às terças e quintas-feiras, dirigida por Walter Forster, e com um pequeno elenco: Vida Alves, Walter Forster, Lia de Aguiar, José Parisi, Lima Duarte, Dionisio Azevedo, Néa Simões, João Monteiro, Astrogildo Filho e Tânia Amaral.

     Após perceber que para segurar o público era preciso deixá-lo diante da TV todos os dias, no mesmo horário, foi ao ar a primeira telenovela diária: "2-5499 Ocupado" (protagonizada por Glória Menezes e Tarcísio Meira), porém ela pertencia à Tv Excelsior de São Paulo, emissora que surgiu em 1960. Nessa época já existia a Tv Tupi, Tv Paulista (1952) e Tv Record (1953). Em 1965 entrava no ar a Tv Globo do Rio de Janeiro, e em 1967 a Tv Bandeirantes de São Paulo. Depois da trama "2-5499 Ocupado", a telenovela consolidou-se de vez entre os telespecatodres, abrindo ainda mais as portas para outros sucessos.

     Em 1964 mais duas novelas foram escritas: "A moça que veio de longe" para a Tv Excelsior, e "Alma cigana" para a Tv Tupi. Em 1965 veio sucessos ainda maiores, "O direito de nascer" pela Tupi, e "A Deusa Vencida" por Excelsior.

     A partir da segunda metade dos anos 60 todas as emissoras no Brasil começaram a investir totalmente em telenovelas, e com uma forte influência do estilo de dramaturgia herdado dos mexicanos, cubanos e argentinos. A primeira novela da Tv Globo foi "Eu compro esta mulher" em 1966, dirigida por Walter Clarck, e logo em seguida veio "O sheik de Agadir" (1967), "A Rainha Louca", "O homem Proibido", "Anastácia", "A mulher sem destino" e "Sangue e Areia" (1968).

     Como concorrente da Tv Globo, estavam sendo exibidas na Tv Excelsior outras telenovelas, "Almas de Pedra", "Anjo Marcado", "As Minas de Prata", "Os Fantoches", "Redenção" (a novela mais longa da teledrematurgia nacional: 596 capítulos, foi exibida entre 1966 e 1968).

     No fim dos anos 60, a telenovela já tinha conquistado completamente o público devido às inúmeras produções da década. Mas começou a haver uma necessidade na mudança de estilo, para transformar a telenovela numa arte genuinamente brasileira. E a primeira emissora que começou a introduzir novas formas de linguagem e estilo, foi a Tv Tupi, com a novela "Antônio Maria", "Nino, o Italianinho" escrita por Geraldo Vietri, e "Beto Rockfeller" de Bráulio Pedroso.

     No mesmo período, passaram pela Tv Excelsior, "A pequena órfã" de Teixeira Filho, "A Muralha", de Ivani Ribeiro e "Sangue do Meu Sangue" de Vicente Sesso. Na Globo, as últimas novelas com influências de fora foram "Passo de Ventos" e "Rosa Rebelde". O rompimento total foi a partir de "Véu de Noiva" (1969).
 
Década de 70

     A partir de 1970, a telenovela brasileira ganha suas próprias características, não havia mais espaço para os dramalhões latinos, portanto todas as emissoras acabaram aderindo à nacionalização do gênero. E as três novelas da Globo que já começaram os anos 70 fazendo sucesso e com um perfil bem brasileiro, foram: "Pigmalião 70", "Véu de Noiva" e "Verão Vermelho". Nessa década, a Excelsior que já havia sido líder na produção de telenovelas, acaba fechando suas portas. A Record mantinha o seu foco em programas musicais, pois nunca conseguiu se equiparar às suas concorrentes produtoras de telenovelas.

     gravacaoSendo assim, a Tv Tupi torna-se a principal concorrente da Tv Globo, e nessa década exibe mais alguns sucessos: "Mulheres de Areia", "Os Inocentes", "A barba Azul", "A viagem", "O Profeta", "Aritana", "Vitória Bonelli", "Meu Rico Português", "O Machão", "Ídolo de Pano", "Éramos Seis" e "Gaivotas". Mas no final dos anos 70, a Tv Tupi entra em falência, e a Bandeirantes entra na concorrência com a Globo, com a novela "Cara a Cara", que contava coma presença de atores da Tupi e da Globo.

    Mas a Globo começou a produzir os maiores êxitos da teledramaturgia nacional e conquistou de vez, depois de "Véu de Noiva", entrou no ar "Irmãos Coragem", "Selva de Pedra", "Pecado Capital", "O Astro", "Pai Herói", "Assim na Terra como no Céu", "Bandeira Dois", "O Bem Amado", "O Espigão", "Saramandaia", "O Cafona e o Rebú".

     Nesse período, é criado por Cassiano Gabus Mendes um padrão para a novela das sete. E a partir de 1975, o horário das seis é reservado para adaptações das obras de literatura nacional, lançando alguns sucessos: "Senhora", "A Moreninha", "Escrava Isaura", "Maria Maria", "A Sucessora", "Cabocla".
 
Década de 80

     Nos anos 80, a  Tv Globo continua crescendo com suas novelas,  a Bandeirantes começa a investir em dramaturgia, com destaques para “Os Imigrantes e “Ninho da Serpente”, mas sem grandes resultados. O SBT surgiu em 1981, e na mesma década começa a importar novelas latinas, mas que já são muito inferiores às produzidas no Brasil. Com o surgimento da Tv Manchete em 1983, novas produções apareceram, entre elas: “Dona Beija” e “Kananga do Japão”, mas não houve muita repercussão por parte do público, portanto a Globo continua liderando a audiência.

     O ápice dessa década, veio com “Roque Santeiro”, de Dias Gomes e Aguinaldo Silva. A novela foi censurada pelo regime militar em 1975, mas retornou com nova produção a todo vapor.
 
Década de 90
 
     Os anos 90 foram marcados pela guerra em busca da audiência, o SBT apareceu com o remake da novela “Éramos Seis” de Sílvio de Abreu, e a Tv Manchete produziu  “Pantanal”, escrita por Benedito Ruy Barbosa, abalando a audiência da Globo. A novela teve um sucesso absoluto, e logo depois Benedito voltou para a Globo com um grande status, e escreveu os maiores êxitos da época: “Renascer”, “O Rei do Gado” e “Terra Nostra”.

      Grandes sucessos apareceram durante os anos 90, entre eles: “Pedra Sobre Pedra”, “Fera Ferida”, “A Indomada”, “Rainha da Sucata”, “A Próxima Vítima”, “Mulheres de Areia”, “A viagem”, “Barriga de Aluguel”, “Vamp”, “Quatro por Quatro”, “Por amor”, estas globais, entre muitas outras.
 
A partir do século XXI

     Nos anos 2000 a telenovela ganha um novo caráter, a maneira de fazer e produzir muda, pois as novelas viraram um tipo de indústria, que forma profissionais e precisa lucrar. A guerra pela audiência se torna cada  vez maior, mas a Globo continua no topo.

     A Tv Record depois do sucesso da nova versão de “Escrava Isaura”, começa a investir muito mais em telenovelas, querendo chegar também ao topo. Nessa tragetória produziu alguns êxitos: “Prova de Amor”, “Caminhos do Coração”, “Cidadão Brasileiro”, “Vida Opostas”.

     Com outros tipos de mídia, com a influência das mudanças de comportamentoda sociedade, e até pela saturação desse gênero, a tv aberta perde cada vez mais audiência. Mas em assunto de novela, a Rede Globo continua à frente. Os maiores destaques desse novo século foram “O Clone”, “Laços de Família”, “Mulheres  Apaixonadas”, “O Cravo e a Rosa”, “Chocolate com Pimenta”, “Alma Gêmea”, “Paraíso Tropical”, “Páginas da Vida”, “América”, “Senhora do Destino”, “Da cor do Pecado”, “Belíssima”, “A Favorita”, etc.